FILMES

Curtas e Médias

Alma no olho | Zózimo Bulbul | 1974 | 10 anos | 11min | Digital 

Metáfora sobre a escravidão e sobre a busca da liberdade através da transformação interna do ser, num jogo de imagens de inspiração concretista. Música de John Coltrane.

Prêmio Humberto Mauro na 6ª Jornada Brasileira de Curta Metragem, Salvador, 1977.

Apiyemiyekî? | Ana Vaz | 2019 | 12 anos | 29min | Digital 

Um arquivo de desenhos feitos pelos uaimiris-atroaris documenta e narra os encontros desse povo nativo da Amazônia com o homem “civilizado”.

Bárbaro e nosso – Imagens para Oswald de Andrade | Márcio Souza | 1969 | 11min | Digital

Homenagem ao modernista Oswald de Andrade. Cópia rara, cedida pelo autor, com timecode aparente.

Brasilianas nº.1: canções populares – "Chuá... chuá…” e “A casinha pequenina" | Humberto Mauro | 1945 | Livre | 7 min | 35mm 

Primeiro filme da série Brasilianas, que reúne sete curtas-metragens sobre canções populares brasileiras dirigidos por Humberto Mauro entre 1945 e 1956. Aqui, a cantiga “Chuá… Chuá…” é associada a cenas da vida rural: uma fonte escoa água, o gado pasta, uma moça pendura uma gaiola com um pássaro, um homem caminha em direção à porteira. Já a cantiga “A casinha pequenina” é vinculada à imagem de um casebre cercado por bananeiras e crianças de mãos dadas, à margem de um rio.

 

Brasilianas nº.2: canções populares – "Azulão” e “O pinhal" | Humberto Mauro | 1948 | Livre | 7min | 35mm

Segundo filme da série Brasilianas, que reúne sete curtas-metragens sobre canções populares brasileiras dirigidos por Humberto Mauro entre 1945 e 1956. Aqui, as músicas “Azulão” e “O pinhal” ganham interpretações cinematográficas que destacam a natureza do país e sugerem o choque entre a vida no campo e a ideia de progresso.

Brasilianas nº.4: engenhos e usinas | Humberto Mauro | 1955 | Livre | 8min | 35mm

Quarto filme da série Brasilianas, que reúne sete curtas-metragens baseados em canções populares brasileiras dirigidos por Humberto Mauro entre 1945 e 1956. Filmando em Volta Grande, Minas Gerais, “Engenhos e usinas” faz um contraponto entre os tradicionais engenhos e as modernas usinas do interior do país.  
 

Chico Antônio, o herói com caráter | Eduardo Escorel | 1983 | Livre | 40min | Digital

Em setembro de 1982 e em janeiro de 1983, o diretor Eduardo Escorel refez um trecho da viagem etnográfica realizada por Mário de Andrade na virada de 1928 para 1929 pelo Rio Grande do Norte, perto da fronteira com a Paraíba. O objetivo era reencontrar e filmar o cantor de coco Chico Antônio, na ocasião já com quase 80 anos, sobre o qual Mário escrevera.  
 

Cinema é maresia | Diogo Cavour | 2008 | Livre | 15min | Digital

Neste documentário, a Cinemateca do MAM Rio é o ponto de partida para uma reflexão sobre a geração cineclubista entre os anos 50 e 60, sobre as origens do Cinema Novo e sobre sua ligação com a obra de Humberto Mauro. Era na cinemateca que se discutia arte, política e cultura, onde se via e se fazia cinema e é lá que se localiza todo o acervo do museu: quadros, esculturas e filmes, todos sujeitos aos efeitos que a maresia pode causar. Walter Lima Jr, Cacá Diegues, José Carlos Avellar e Hernani Heffner são alguns dos personagens dessa viagem sentimental sobre cinema e memória. 
 

Eh Pagu, eh! | Ivo Branco | 1985 | Livre | 15min | Digital

O filme conta um pouco da vida e da obra de Patrícia Galvão, a Pagu. Jornalista, escritora, tradutora e desenhista, Pagu participou do Movimento Antropofágico, ao lado de Oswald de Andrade, com quem se casou. 

Melhor Curta-Metragem e Melhor Roteiro no Festival de Brasília, 1982.
 

Grin | Isael Maxakali, Roney Freitas e Sueli Maxakali | 2016 | Livre | 40min | Digital

Um cineasta Maxakali resgata memórias sobre a formação da Guarda Rural Indígena durante a Ditadura Militar, com relatos das violências sofridas pelos seus parentes.
 

Há terra! | Ana Vaz | 2016 | Livre | 12min | Digital

Em meio ao sertão brasileiro, a câmera acompanha uma enigmática personagem que se esconde, caminha e rasteja pela vegetação local. Enquanto relata acontecimentos de sua vida, ouve-se, ao fundo, uma voz masculina que exclama: “Há terra! Há terra!”. Captado em 16mm, o filme revisita o cinema brasileiro de vanguarda e sua ânsia de desbravar o Brasil.
 

Herói póstumo da província | Rudá de Andrade | Livre | 1973 | 15min | Digital

Esta é a segunda da série de três filmes independentes chamada Do sertão ao beco da Lapa. Em “Herói póstumo da província”, Rudá de Andrade resgata a vida e a memória de seu pai, Oswald de Andrade, procurando entender por que esse que foi um dos mais importantes intelectuais brasileiros caiu no quase total esquecimento no final da sua vida e nos anos que se seguiram à sua morte.

Prêmio INC na 3ª Jornada Nordestina de Curta-Metragem, Salvador, 1974.
 

Mato eles? | Sergio Bianchi | 1983 | Livre | 40min | 16mm

Oscilando entre a estética da ficção e do documentário, numa mistura ambígua de entrevistas documentadas e encenadas, o filme mostra a crueldade da indústria madeireira contra os indígenas da reserva de Mangueirinha, no sudeste do Paraná, com a conivência daqueles que deveriam protegê-los.

Prêmio do Júri Popular de Melhor Curta e de Melhor Roteiro no Festival de Brasília, 1983.

Prêmio de Melhor Direção no Festival de Gramado, 1983.

Não vim no mundo para ser pedra | Fabio Rodrigues Filho | 2021 | Livre | 26min | Digital

O filme-ensaio propõe uma colagem de imagens e falas de Grande Otelo, para se aprofundar em uma suspeita levantada por esse grande ator em relação a Macunaíma, clássico personagem de Mário de Andrade interpretado por ele no cinema.

Seleção oficial do Festival de Tiradentes, 2022.
 

O Aleijadinho | Joaquim Pedro de Andrade | 1978 | 10 anos | 24min | 35mm 

Com roteiro de Lúcio Costa e narração de Ferreira Gullar, o documentário aborda a vida e a obra de Antônio Francisco Lisboa, o artista mais expressivo do Brasil Colônia. Mesmo acometido por uma doença degenerativa que o debilitou, ele não deixou de seguir com sua obra monumental e comovente.
 

O ataque das araras | Jairo Ferreira | 1975 | 12 anos | 11min | Digital

O curta-metragem mostra uma viagem do jornalista Jairo Ferreira pelo Amazonas, acompanhando o grupo de teatro de Márcio de Souza. No mesmo barco, subindo o Rio Negro, uma equipe de cineastas japoneses faz o registro turístico da viagem, enquanto outra equipe de cinema, vinda de São Paulo, realiza um comercial nos igarapés próximos a Manaus.
 

O mestre de Apipucos | Joaquim Pedro de Andrade | 1959 | Livre | 8min | 35mm 

Com um roteiro que se constrói a partir de textos de Gilberto Freyre, o filme registra a rotina e o método de trabalho desse escritor e sociólogo pernambucano em sua casa no bairro de Apipucos, em Recife. 
 

O poeta do Castelo | Joaquim Pedro de Andrade | 1959 | Livre | 12min | 35mm 

O diretor Joaquim Pedro de Andrade filma seu padrinho e amigo Manuel Bandeira em uma manhã da década de 1950. Os versos do poeta, lidos por ele mesmo, acompanham e ressignificam os gestos banais de sua rotina no pequeno apartamento em que vivia e nas ruas do bairro do Castelo, no Centro do Rio de Janeiro.

 

Perigo negro | Rogério Sganzerla | 1992 | 16 anos | 28min | Digital

Um dos cinco episódios do filme Oswaldianas, “Perigo negro” narra a ascensão e a queda de um jogador de futebol vistas por um torcedor fanático e sua mulher volúvel, deslumbrada pelo "cartola" Moscosão, que acaba com a carreira do craque.
 

Quem seria o feliz conviva de Isadora Duncan? | Júlio Bressane | 1992 | 16 anos | 28min | Digital

Um dos cinco episódios do filme Oswaldianas, “Quem seria o feliz conviva de Isadora Duncan?” narra o lendário e frustrado encontro de Oswald com a musa de dança Isadora Duncan, numa leitura poética e satírica, na qual o provincianismo urbano do passado defronta-se com rasgos do modernismo.
 

República do Mangue | Julia Chacur, Mateus Sanches Duarte e Priscila Serejo | 2020 | 10 anos | 8min | Digital

A Zona do Mangue do Rio de Janeiro era uma conhecida área de prostituição que enfrentou diversas perseguições ao longo do século XX. Entre 1954 e 1974, vigorou na região a chamada República do Mangue, um regime representativo no qual, sob controle médico e vigilância policial, as mulheres decidiam quem deveria assumir a administração das “casas de tolerância”. A partir de imagens que sobreviveram ao tempo, o curta propõe outro olhar sobre essa memória de disputa e resistência.
 

Tarsila: 50 anos de pintura | Fernando Coni Campos | 1969 | Livre | 8min | 35mm

Retrospectiva da obra da pintora Tarsila do Amaral realizada no Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro em 1969.
 

Travessia | Safira Moreira | 2017 | 5min | Digital

Uma busca pela memória fotográfica de famílias negras. Em linguagem poética, o filme assume uma postura crítica e afirmativa diante da ausência e da estigmatização da representação tradicional do negro.
 

Uma noite com Oswald | Inácio Zatz e Ricardo Dias | 1992 | 16 anos | 29min | 35mm

Em “Uma noite com Oswald”, um dos cinco episódios do filme Oswaldianas, o universo desse autor é antropofagicamente deglutido pelo mundo dos programas de variedades da televisão, num rito mágico que propicia uma delirante sátira do fim do século XX.

WhatsApp Image 2022-02-11 at 16.49.13.jpeg

QUANDO?

CCBB SP - 09/02/2022 a 07/03/2022
CCBB RJ - 10/03/2022 a 04/04/2022 

CCBB DF - 19/04/2022 a 08/05/2022 

ONDE?

Centro Cultural do Banco do Brasil - Rio de Janeiro
Avenida Almirante Barroso, 25, Centro, RJ
Centro Cultural do Banco do Brasil - Brasília
St. de Clubes Esportivos Sul Trecho 2 - Edifício Tancredo Neves
Centro Cultural do Banco do Brasil - São Paulo
R. Álvares Penteado, 112, Centro